21 de abr de 2014

DISSERTAÇÃO - Ciência e Jornalismo


As pesquisas acadêmicas acerca do jornalismo científico já gozam de longa data no Brasil. Inicialmente restrita aos estudos comunicacionais em universidades do eixo Rio-São Paulo, já faz algum tempo que essa temática passa a interessar também pesquisadores de outras regiões do País (sobretudo nas regiões Sul e Nordeste), além daqueles ligados às áreas de letras e linguística. Entretanto, das pesquisas já realizadas, muito poucas utilizaram a semiótica greimaisana como referencial teórico. O trabalho do qual falamos é um desses exemplos.

O livro Ciência e jornalismo é uma adaptação da dissertação de mestrado da autora Liliane Calado, defendida em 2012 no programa de Pós-Graduação em Comunicação da Universidade Federal da Paraíba (2012), sob a orientação da professora Olga Tavares. A pesquisa de Calado consiste basicamente em uma análise semiótica de um conjunto de reportagens (sete ao todo) sobre ciência e tecnologia publicadas na revista Época durante o ano de 2010. A metodologia empregada se ancora na abordagem standard da teoria de Greimas, aplicando-se o percurso gerativo de sentido, somada às contribuições da semiótica visual, de Jean-Marie Floch e Antonio Vicente Pietroforte – algo que se revelou bastante pertinente para se analisar as relações entre textos e imagens presentes no corpus.

Segue abaixo o resumo da pesquisa, extraído da dissertação original:

A ciência e seus desdobramentos fazem parte da história da humanidade. Nos dias atuais, percebemos sua evidência em nosso dia a dia, desde ações triviais, como também em questões complexas, como a clonagem humana. A mídia, por sua vez, reconhecendo o poder da ciência, tem propagado os avanços científicos em seus suportes e é de acordo com essa perspectiva que se consolida a produção de jornalismo científico, uma prática que visa a divulgação da ciência sob a égide dos padrões jornalísticos. Sendo assim, o presente estudo buscou compreender a construção de discursos de textos verbais e não-verbais inseridos na seção Ciência & Tecnologia da Revista ÉPOCA, que se propõe a divulgar assuntos científicos. Para isso, selecionamos sete matérias dessa seção veiculadas no período de janeiro a dezembro de 2010. Nas análises, aplicamos os princípios da semiótica greimasiana, que tem como base metodológica o percurso gerativo de sentido, que mostra a produção de significados do texto em patamares. Buscamos evidenciar os efeitos de sentido provocados pelas estratégias discursivas escolhidas pelos repórteres e as articulações que se confirmam na formação desses textos.
Palavras-chave: jornalismo científico; ciência; semiótica; discurso; revista ÉPOCA.

Referência: CALADO, Liliane. Ciência e jornalismo: a construção do sentido do discurso jornalístico-científico no texto verbal e não-verbal de reportagens da revista Época. João Pessoa: Marca de Fantasia, 2012. 233 p.

Para fazer o download gratuito do livro, acesse o link: http://www.insite.pro.br/elivre/ciencia%20e%20jornalismo%20pc.pdf

Postado por

0 comentários:

Postar um comentário

Obrigado por enviar o seu comentário! Ele será publicado em breve.