9 de set de 2013

ARTIGO - Teorias fundadoras da semiótica narrativa

O volume 42, número 3, da revista “Estudos Linguísticos” está imperdível para os pesquisadores dos estudos do discurso. O número tem por tema “Análise do texto e do discurso” e contém artigos de importantes pesquisadores da área de Semiótica, tais como Aline Aparecida dos Santos (pesquisadora do Seminário de Semiótica da UNESP), Loredana Limoli (UEL), Cleides Maria Silva Prestes, Edna Maria F. dos Santos Nascimento, Matheus Nogueira Schwartzmann e Vera Lúcia Rodela Abriata (pesquisadores do grupo CASA da UNESP Araraquara), entre muitos outros.

Nossa sugestão de leitura dá especial atenção ao interessante trabalho de pesquisa realizado por Aline Aparecida dos Santos: “Teorias Fundadoras da Semiótica Narrativa”. Nesse artigo, a pesquisadora buscou as origens do pensamento semiótico de Greimas, partindo dos formalistas do folclore e dos estruturalistas literários. Entre eles, encontram-se A. Jolles, A. Dundes, T. Todorov, R. Barthes, C. Bremond, V. Propp e Lévi-Strauss.

Segundo a pesquisa realizada por Aline Aparecida dos Santos, o método estrutural da análise narrativa se desenvolveu em duas importantes fases: de 1920 a 1930 e de 1960 a 1980. As duas fases e suas principais contribuições para a semiótica narrativa – como a aproximação dos estudos linguísticos aos estudos literários – são discutidas de forma detalhada neste artigo, demonstrando o amadurecimento da teoria semiótica ao longo desse período.

Este estudo demonstra que a Semiótica é uma “disciplina em construção”, que ganhou forma ao longo de estudos literários e linguísticos, que foi debatida e criticada por seus fundadores e que continua avançando com propriedade. A leitura desta pesquisa e sua posterior discussão continuarão contribuindo para que a teoria semiótica avance.

Confira também:

A voz e o método, de Alpha Condeixa Simonetti

Lei “Maria da Penha”: uma nova forma de vida da mulher brasileira?
, de Cleides Maria Silva Prestes e Edna Maria F. dos Santos Nascimento

“Meio covarde”, de Ivan Ângelo. Uma abordagem semionarrativa e semiodiscursiva, de Renata Cristina Duarte e Vera Lúcia Rodella Abriata

As virtualidades do segredo na novela das oito, Loredana Limoli

Escrita epistolar: da cena prática à forma de vida, de Matheus Nogueira Schwartzmann

Uma leitura de “Greve”: a vanguarda e o social, de Thiago Moreira Correa

Disponível em:

<http://www.gel.org.br/novo/estudos-linguisticos/edicoes.php>

XLII – n. 3 - 2013

Fernanda Massi

Postado por

0 comentários:

Postar um comentário

Obrigado por enviar o seu comentário! Ele será publicado em breve.